Governo pretende levar médicos a regiões remotas do País

Com o objetivo de suprir a necessidade do Brasil pela mão de obra de mais de 50 mil médicos, o governo federal apresentou ontem (08), proposta de empregar profissionais de outros países para realização de atendimentos a população pelo Sistema Único de Saúde (SUS), onde a assistência à saúde é considerada deficiente.

De acordo como Ministério da Saúde, ainda não há uma estimativa de quantos médicos estrangeiros o governo deverá convocar. As mais de 13 mil vagas que não foram preenchidas por médicos bolsistas na última edição do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab) serão incorporadas no novo programa, que visa atrair brasileiros e estrangeiros para atuar no interior do País.
O governo pretende atrair profissionais do Brasil para suprir a ausência de médicos em municípios remotos. Caso a mão de obra não seja suficiente, estrangeiros devem ser aceitos, provavelmente com autorização de trabalho por um período determinado.

O programa que está sendo estruturado para atrair médicos ao interior do Brasil vai oferecer salário de R$ 10 mil, segundo o Ministério da Saúde. As regras ainda estão sendo definidas. Segundo o Ministério, os especialistas vão atuar na Atenção Básica. Eles deverão trabalhar em ações de promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes e famílias.

As atividades vão contemplar:

– a realização de pré-natal em gestantes;

– atendimento a intercorrências clínicas e pequenas urgências (infecções respiratórias agudas, dengue, doenças sexualmente transmissíveis, dentre outras);

– acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de crianças; diagnóstico e tratamento de pessoas com diabetes, hipertensão, asma, depressão, tuberculose e outras doenças crônicas;

– pequenos procedimentos como sutura, lavagem de ouvido, retirada de unha encravada, dentre outros.

Segundo o governo, este tipo de atendimento resolve de 80% a 90% os problemas de saúde da população, evitando parte considerável das internações hospitalares.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) condenou a possível vinda de médicos estrangeiros para trabalhar no país, classificando como “irresponsável” a iniciativa de proporcionar a entrada de médicos estrangeiros e de brasileiros com diplomas de medicina obtidos no exterior, sem sua respectiva revalidação.

O CFM apresentou também uma proposta ao governo que sugere investimentos em infraestrutura, criação de uma carreira de estado para profissionais do sistema público e revalidação dos diplomas de médicos estrangeiros.

No documento, o CFM afirma que considera essencial que o médico estrangeiro passe por uma revalidação do diploma e ainda faz a ressalva de que os profissionais estrangeiros tenham domínio da língua portuguesa e contem com o apoio necessário do governo para se instalarem nas cidades onde vão atuar.

Representantes da Associação Médica Brasileira afirmaram que a vinda de médicos estrangeiros para o sistema público configura “trabalho escravo” e uma medida de “alto risco”. A associação promete ir à Justiça e buscar órgãos internacionais em ações contra a medida.

Ferramenta gratuita auxilia profissionais e entidades da saúde a anunciar e trocar plantões em todo País – Atento às necessidades da área da saúde, o Pega Plantão é uma ferramenta online gratuita, que tem como objetivo viabilizar a troca de plantões, o gerenciamento de escalas e o anúncio de vagas de emprego para profissionais como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e dentistas de todo País. O site lançado em 2012, conta com mais de 10 mil profissionais cadastrados e também atende fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, biomédicos e farmacêuticos.

A dinâmica permite a substituição imediata de plantonistas, contribuindo para que não haja a falta de profissionais, e evitando o prejuízo de atendimento a pacientes. A ferramenta é simples: o profissional interessado acessa o endereço www.pegaplantao.com.br, realiza o cadastro gratuito no site e acompanha o oferecimento de plantões na sua região. O serviço funciona ainda como uma agenda, onde o usuário pode ter um controle de compromissos. Mais informações podem ser obtidas em www.pegaplantao.com.br/entidades-de-saude. 

*Com informações do portal de notícias G1
Cleidiane Hennes
Jornalista
MTB 680/MS

Recommended Posts