Convênios: Médicos pedem mais transparência

No último dia 26 de outubro, entidades médicas entregaram à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) um documento que cobra mais transparência nos dados sobre a cobertura dos planos de saúde. De acordo com o Conselho Federal de Medicina, esses dados apresentados mais detalhadamente poderão ajudar pacientes e profissionais da área a decidir pela adesão aos convênios.

A transparência solicitada seria na parte da divulgação de informações, bem como a quantidade e a distribuição geográfica de leitos hospitalares e de unidades de terapia intensiva (UTIs), de laboratórios e de médicos disponíveis. Por este pedido, será possível comprovar o desequilíbrio entre o crescimento da demanda no setor e a oferta de serviços.

Os médicos também entregaram à ANS uma série de reportagens, pesquisas e estudos que sugerem uma iminente crise na saúde suplementar. O documento, que fora assinado pelo CFM, pela Associação Médica Brasileira (AMB) e pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam), é um desdobramento das reivindicações que levaram à suspensão do atendimento aos planos de saúde em vários Estados nos últimos 15 dias.

Os problemas existentes se acumulam e comprometem, sobremaneira, a assistência oferecida aos cerca de 50 milhões de brasileiros que fazem uso dos serviços contratados. “Além de permitir o controle social, essa transparência sobre os dados da cobertura assistencial poderá ajudar o paciente a decidir se ele contrata ou não um plano. Para os médicos, o acesso aos dados permitirá que ele avalie se o plano oferece infraestrutura e condições de trabalho suficientes para atendimento em uma determinada região”, argumenta Roberto d’Ávila, presidente do Conselho Federal de Medicina.

A ideia desse “barulho” todo é a de resgatar, na perspectiva de uma série histórica, dados registrados desde a criação da ANS.

Será que os médicos vão conseguir? O que vocês acham?

Clique aqui para acessar o documento na íntegra.

Postagens recente