CRM Digital: Agilidade no atendimento e diminuição no tempo de espera

Como tudo hoje em dia é digital – documentos, consultas e notas fiscais – o Conselho Federal de Medicina implantou o conceito da CRM Digital, que permite a identificação digital do médico para a prática diária de suas atividades (inclusive a assinatura em prontuários eletrônicos). Sua adesão está sendo facultativa e a atual cédula de identidade continuará valendo para aqueles que ainda não aderiram ao novo sistema.

Os médicos do Distrito Federal, Espírito Santo, Pará, Pernambuco e Santa Catarina foram os primeiros a receber a carteira digital – em policarbonato (material similar ao de cartões de crédito), com um chip que poderá ser ativado para certificação digital.

Segundo o presidente do CFM, Roberto Luiz d’ Avila, o futuro caminha para todo mundo ser reconhecido através da certificação digital. “A função do Conselho Federal de Medicina é dar uma carteira profissional com o chip para que os médicos possam aderir aos novos tempos”.

Essa iniciativa deve, gradativamente, contemplar principalmente os profissionais que já têm demandas de certificação digital e os que têm perfil mais informatizado. Para Gerson Zafalon Martins – membro da Câmara Técnica de Informática em Saúde do CFM e relator da resolução que institui o documento digital – aprovada na plenária –, destaca que, o CRM digital será um cartão inteligente (smart card) onde o médico poderá assinar suas receitas e documentos com uma assinatura digital, de acordo com as especificações do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) atendendo às exigências técnicas solicitadas.

Os que optarem pelo CRM digital poderão ainda decidir pela ativação ou não do chip (adesão ou não à tecnologia de certificação digital) e a qual autoridade registradora (AR) recorrerão – alguns exemplos são Verisign, Certisign, Caixa, Serasa e Serpro. Se não habilitado o chip, a carteira não contará com o recurso tecnológico da certificação digital, mas funcionará como um documento de identidade profissional de alta resistência e mais seguro contra falsificações.

Para que o médico compreenda melhor os conceitos-chaves da Certificação de Software e Certificação Digital, o CFM e a SBIS elaboraram uma cartilha educativa, onde nela, o profissional médico e os demais interessados poderão ter uma visão geral sobre Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP)/Registro Eletrônico de Saúde (RES), Certificação Digital, Documento Eletrônico e quais as regras para um prontuário 100% digital (paperless – sem papel).

Saiba mais sobre a Cartilha, clicando aqui.

Diante dessa novidade, o que vocês acham da possibilidade de bater ponto no hospital com a carteirinha digital?

Com a CRM Digital, vocês concordam que a garantia de segurança e privacidade dos pacientes será muito maior?

Postagens recente